sábado, fevereiro 4, 2023

Apagões, aumentos de preços e recessão — como será o inverno na Irlanda este ano

Apagões, aumentos de preços e recessão — como será o inverno na Irlanda este ano

O aumento do custo de vida está afetando milhões de pessoas na Irlanda. A crise fez com que os preços subissem em vários setores. A inflação atingiu a maior alta de 38 anos em junho, aumentando em 9,1% no período de 12 meses, a taxa mais alta desde 1984, segundo o Gabinete de Estatísticas da Irlanda (CSO).

Com a crise contínua do custo de vida, o aumento dos custos de energia, e apagões fica evidente que uma possível recessão está se aproximando neste inverno, de acordo com vários especialistas.

Apagões

Falando recentemente a um programa de rádio Irlandês, o ex-diretor administrativo da ESB Internacional Don Moore disse que a Irlanda era a “menos preparada” para a perspectiva iminente de apagões neste inverno.

Afirmando que, ao contrário da Alemanha, França e Itália, a Irlanda optou por não estocar petróleo e gás para o período de inverno.

“A Irlanda, o país no final da rede de gás europeia, é o menos preparado para uma crise de gás neste inverno.”

“Eu diria que houve uma falha no planejamento do sistema. Sempre houve um crescimento na demanda por eletricidade e a população também cresceu. Agora são mais de 5 milhões de pessoas”, disse ele.

Ele explicou que a Irlanda importa mais de 70% do gás do Reino Unido, mas o país não tem armazenamento de gás.

Pouco depois, e na sequência de um alerta amarelo emitido pelo Operador do Mercado Único de Eletricidade (SEMO) que significava uma ameaça ao fornecimento de eletricidade. Leo Varadkar disse que o governo está “fazendo tudo” para evitar apagões neste inverno.

O ministro disse que o governo está buscando capacidade de geração adicional e analisando planos para reduzir a demanda durante os horários de pico.

Aumento do preço da energia

Apesar de já atingirem recordes, os preços de energia e gás devem subir ainda mais nos próximos meses, com novos dados da CSO mostrando que os custos de eletricidade aumentaram mais de 86% em 12 meses.

Os aumentos significaram que, em média, as famílias estão pagando 900 euros a mais por ano em eletricidade e mais 800 euros pelo gás do que no início de 2021.

Em 2021, houve mais de 35 anúncios de aumento de preços. E até agora em 2022, grandes fornecedores como Bord Gáis Energy, Electric Ireland, SSE Airtricity e Energia anunciaram mais aumentos.

Recessão

Com o atual nível de inflação, uma recessão é inevitável, segundo Eddie Hobbs, Ben Dunne e David McWilliams.

Em entrevista a um jornal Irlandês, Hobbs disse: “Provavelmente estaremos em recessão no início do outono, mas definitivamente no inverno. Todos os “sinais” tornam isso mais evidente.

Neste momento, estamos a caminho da recessão. Estamos olhando para o encolhimento da economia, perda de empregos, fechamento de negócios. É como se fosse um caminho sem volta.”

Hobbs disse que várias questões deram origem à inflação, incluindo o isolamento social devido a Covid-19 e a guerra na Ucrânia.

“Nos custou 40 bilhões para fazer o lockdown. Exageramos completamente na impressão do dinheiro. Isso irá colaborar para a inflação.”

“Tivemos inflação antes de Putin cruzar a fronteira em 24 de fevereiro. Está exacerbando isso.

“Estamos pensando em racionar a eletricidade no próximo inverno. Vamos experimentar preços inacessíveis. O choque do racionamento de energia e racionamento de alimentos vai causar uma mudança de mentalidade”, disse ele.

“Entramos na época com uma vasta crise habitacional, um sistema de saúde disfuncional e um serviço público praticamente inexistente e não fazer nada, é promover de maneira negativa este serviço.

Depressão econômica

Ben Dunne foi mais longe ao dizer que uma recessão iminente poderia se transformar em uma depressão econômica, uma recessão econômica mundial, com efeitos devastadores na sociedade e na economia.

Falando a um jornal Irlandês, Dunne disse: “Todo mundo pode dizer: ‘há uma recessão a caminho’. Mas é muito fácil transformar uma recessão em uma depressão.

“Você continua aumentando os preços e a tendência é que eles subam cada vez mais. Os salários aumentam e consequentemente o custo de vida fica praticamente inacessível. Então não é recessão, mas sim uma depressão econômica.

Em um episódio recente de seu podcast, McWilliams disse: “Eu não acho que será algo tão extremo quanto o caso em 2008 e 2010, quando houve emigração em massa de toda uma classe operária na Irlanda”.

“O que estamos vendo agora é muito mais parecido com uma pequena recessão. Não é particularmente um choque, mas uma recessão curta e assustadora”, disse ele.

“O grande problema hoje é que todas as outras vezes que passamos por momentos difíceis nesta ilha, conseguimos emigrar. Isso é mundial agora.

“Não podemos simplesmente ir para a Inglaterra, Estados Unidos ou Europa. Eles estão na mesma posição que nós. Essa é a coisa assustadora. Estamos caminhando para o desastre.”

No entanto, alguns têm uma visão diferente sobre como uma possível recessão poderia dar certo.

O economista David McWilliams acredita que esta recessão não será tão longa ou devastadora quanto a que houve em 2008.

 

 

 

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.