quinta-feira, abril 18, 2024

Irlanda planeja cortes na assistência social para refugiados ucranianos e reforçar política de imigração

Irlanda planeja cortes na assistência social para refugiados ucranianos e reforçar política de imigração

A ministra da Proteção Social, Heather Humphreys, indicou que haverá novos cortes na assistência social para os ucranianos em alojamentos estatais. Segundo ela, pagar taxas mais altas aos 54.773 refugiados ucranianos já presentes em alojamentos estatais não é sustentável, sendo a Irlanda considerada mais atraente do que outros países.

Os planos do governo para reduzir as taxas de bem-estar social para os recém-chegados, como os ucranianos, estão prestes a ser sancionados pelo Presidente Michael D Higgins. Isso implicará em pagamentos semanais reduzidos de 38,80 euros, em vez dos atuais 220 euros, além de um direito de habitação estatal limitado a 90 dias.

Apesar de não afetar os refugiados já presentes, Humphreys destacou a falta de sustentabilidade em fornecer pagamentos mais elevados a longo prazo. Ela ressaltou que, embora fosse apropriado inicialmente oferecer apoio generoso, a situação mudou desde o início da guerra na Ucrânia.

Irlanda oferece melhores condições

A ministra afirmou que a Irlanda não pode ser mais atraente do que outros países europeus e que é necessário revisar a decisão de fornecer benefícios mais altos aos refugiados. Ela explicou que os ucranianos estavam vindo para a Irlanda porque o país oferecia melhores condições de bem-estar social.

Humphreys também mencionou a recente queda no número de ucranianos que entram na Irlanda nas últimas semanas. Ela destacou a necessidade de manter o equilíbrio entre oferecer suporte aos refugiados e garantir que a Irlanda não seja mais atraente do que outros destinos europeus.

Além disso, a ministra abordou a repressão à imigração ilegal e a importância da imigração legal para a economia irlandesa. Ela afirmou que os imigrantes com autorização de trabalho são bem-vindos, contribuindo com 3 bilhões de euros para o Fundo de Segurança Social. Humphreys também mencionou a assinatura de ordens de deportação para aqueles que não têm direito de permanecer no país.

A questão da imigração está se tornando uma questão política mais significativa à medida que as eleições se aproximam, com partidos como o Fianna Fáil planejando novas políticas sobre o tema. Tanto o Fianna Fáil quanto o Fine Gael enfrentam desafios internos de vereadores que questionam a abordagem do governo em relação à migração.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.