fbpx

domingo, abril 18, 2021

A Grã-Bretanha afirma que vacinará seu próprio povo antes de ajudar outros países como a Irlanda

A Grã-Bretanha afirma que vacinará seu próprio povo antes de ajudar outros países como a Irlanda

A Grã-Bretanha se concentrará em vacinar toda a sua população adulta antes que possa fornecer vacinas excedentes a outros países, como a Irlanda, disse o ministro de negócios britânico, Kwasi Kwarteng.

Foi relatado no fim de semana que a Grã-Bretanha iria oferecer a Irlanda 3.7million doses excedentes da vacina AstraZeneca, em parte, a fim de ajudar a aliviar o lockdown na Irlanda do Norte, que era dependente da situação do sul da fronteira.

 

No entanto, posteriormente o ministro das Relações Exteriores, Simon Coveney, disse não ter conhecimento de qualquer oferta por meio dos canais oficiais.

 

Mais de 30 milhões de britânicos receberam suas primeiras doses da vacina de Covid-19 no lançamento mais rápido na Europa, com o objetivo de oferecer vacinas a todos os adultos até o final de julho.

 

Porém, A Grã-Bretanha se viu envolvida em uma disputa pública com a União Europeia, onde o programa de vacinação tem sido muito mais lento, sobre o fornecimento de doses.

 

“Acho que nosso foco deve ser tentar manter o nosso país segura, queremos trabalhar cooperativamente também com outros países, mas a principal prioridade é conseguir o lançamento da vacina”, disse Kwarteng à Sky News.

 

Ele disse que a Grã-Bretanha está trabalhando com as nações europeias para tentar garantir que suas populações sejam vacinadas, e que não se trata de uma “situação competitiva”.

 

No entanto, questionado se a o país poderia ajudar a Irlanda, ele disse: “Se houver doses de vacina em excesso, podemos compartilhá-las, mas não há excedentes no momento, ainda temos um grande número para vacinar.”

 

A Grã-Bretanha fechou acordos para comprar dezenas de milhões de vacinas de vários fornecedores e na segunda-feira a GlaxoSmithKline anunciou detalhes dos planos para a parte final do processo de fabricação de até 60 milhões de doses da vacina Novavax para uso na Grã-Bretanha.

 

O primeiro-ministro britânico Boris Johnson é um dos 23 líderes que na terça-feira apoiaram a ideia de criar um tratado internacional para ajudar o mundo a trabalhar em conjunto para lidar com futuras emergências de saúde.

 

“Hoje temos uma crise sobre nós e é absolutamente certo que devemos nos concentrar em tentar lidar com isso em nosso próprio país e manter nosso povo seguro, para que possamos voltar a um modo de vida normal”, Kwarteng disse.

 

Fonte: independent.ie

 

 

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.