quinta-feira, abril 18, 2024

X responde a questionamentos sobre sua atuação durante conflitos em Dublin e esforços contra desinformação

X responde a questionamentos sobre sua atuação durante conflitos em Dublin e esforços contra desinformação

X, que antes era conhecido como Twitter, defendeu suas ações frente aos tumultos ocorridos em Dublin, em novembro de 2023.

Os representantes da rede social estiveram presentes em uma reunião fechada com o Comitê de Mídia do Oireachtas(parlamento nacional da República da Irlanda) nesta tarde.

Optando por não participar de uma audiência aberta sobre segurança na internet, desinformação e educação midiática, X pediu para se encontrar privadamente com a comissão.

No comunicado inicial, a empresa relatou que, ao saber do ataque com faca na Parnell Square em novembro de 2023, iniciou uma busca ativa na plataforma por conteúdos que infringissem suas normas.

“Como resultado, tomamos ações proativas em relação a mais de 1.230 publicações que violavam nossas regras relacionadas aos tumultos, de 24 a 28 de novembro”, conforme o comunicado inicial.

X informou que, na Irlanda, de agosto a outubro de 2023, agiu sobre 1.164 publicações e 27.114 contas por descumprimento das regras, com 18.735 contas envolvidas em manipulação e spam.

“Ações também foram tomadas em 964 conteúdos reportados pelas autoridades irlandesas”, acrescentou X.

Críticas

A plataforma, propriedade do bilionário Elon Musk, recebeu críticas pela forma como lidou com os tumultos em Dublin, com a Ministra da Justiça, Helen McEntee, criticando a empresa naquele período por não remover conteúdos que, segundo ela, alimentaram os tumultos.

A Ministra também acusou X de não colaborar com a polícia na remoção de conteúdos. Em resposta, a plataforma chamou os comentários da Ministra de “imprecisos” e expressou esperança de que ela esclareça suas declarações.

Malcolm Byrne, senador do Fianna Fáil e membro do Comitê de Mídia Oireachtas, mencionou que, na reunião de hoje, os representantes de X confirmaram o monitoramento ativo contra desinformação, especialmente em vista dos próximos referendos e eleições.

Comprometeram-se também a seguir a nova legislação irlandesa sobre discurso de ódio, assim que for aprovada.

Byrne, porém, mostrou-se preocupado com a estrutura dos algoritmos da rede e com a redução significativa no número de moderadores de conteúdo, que caiu de 5.500 em novembro de 2022, antes da compra por Musk, para 2.500 atualmente.

“Embora a iniciativa de diálogo seja positiva, permaneço cético quanto ao compromisso real de X em combater a desinformação e as formas mais graves de discurso de ódio na plataforma”, concluiu Byrne.

Post source : RTÊ

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.