quinta-feira, junho 13, 2024

Digital Influencer Brasileira é alvo de difamação na Irlanda

Digital Influencer Brasileira é alvo de difamação na Irlanda

A influencer brasileira Nana enfrenta uma grave acusação promovida por Ítalo Garcia, um digital influencer conhecido por vender roteiros de viagens no instagram. Ítalo acusou Nana, por meio de seu perfil no Instagram, de trair o seu marido, o irlandês Cian, sem apresentar qualquer prova ou embasamento. As acusações levantadas por Ítalo difamaram Nana e incluíram termos pejorativos.

Ítalo Garcia intencionalmente criou uma conta no Instagram com o propósito de caluniar Nana, mas posteriormente deletou essa conta. Os ataques surgiram após ela rejeitar o assédio dele, que, não aceitando a recusa, decidiu difamá-la publicamente.

 

Influencer recusa as afirmações

Nana negou categoricamente as alegações, reforçando a solidez de seu casamento com o irlandês Cian. Ela deixou claro que nunca teve a intenção de se casar para obter vantagens, como um passaporte. As acusações infundadas e os ataques virtuais têm gerado preocupação tanto para Nana quanto para seus seguidores, que enxergam nesses comportamentos uma clara tentativa de retaliação após a rejeição ao assédio.

Medidas judiciais

Diante dessa situação, Nana está tomando medidas legais para enfrentar a situação, buscando proteger seus direitos e sua imagem pública por meio do amparo legal. Ela compreende que a disseminação de acusações infundadas e a difamação são comportamentos irresponsáveis e altamente prejudiciais, capazes de causar danos irreparáveis à reputação e à vida pessoal dos envolvidos.

A comunidade brasileira tem se manifestado em apoio a Nana, repudiando veementemente as acusações levianas. Esse episódio destaca a necessidade de combater o assédio virtual e promover uma postura ética e consciente dentro das redes sociais.

Aumento alarmante de casos de assédio e violência contra mulheres no Brasil: Pesquisa revela números preocupantes

Uma pesquisa inédita do Fórum Brasileiro de Segurança Pública revela um aumento alarmante de casos de assédio e violência contra mulheres no Brasil. Os dados de 2022 mostram que cerca de 30 milhões de mulheres foram vítimas de assédio, representando uma média de uma mulher sendo assediada a cada segundo. Esse número é o mais alto desde 2017. O estudo ouviu 2.017 pessoas em 126 municípios, representando a população adulta do país com mais de 16 anos.

Houve um número recorde de mulheres sofrendo violência ou agressão, totalizando aproximadamente 18,6 milhões de casos, o que equivale a quase 51 mil casos por dia. O levantamento revela que, se todas as vítimas procurassem ajuda ao mesmo tempo, não haveria atendimento suficiente para todas.

Difamação na Irlanda é crime! Se você foi vítima, denuncie.

 

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.