quarta-feira, julho 17, 2024

Refugiados ucranianos terão de pagar alojamento e terão benefícios sociais alterados, diz Leo Varadkar

Refugiados ucranianos terão de pagar alojamento e terão benefícios sociais alterados, diz Leo Varadkar

O Governo espera introduzir medidas antes do final deste ano para exigir que os refugiados ucranianos paguem pelo seu alojamento e alterem os seus benefícios de assistência social, disse o primeiro ministro da Irlanda, Leo Varadkar.

Os detalhes ainda não foram acordados e quaisquer alterações nas prestações de segurança social exigirão legislação, mas ambas as medidas serão introduzidas ao mesmo tempo.

“Os ucranianos ainda serão bem-vindos aqui. Qualquer ucraniano que venha para a Irlanda não será rejeitado, isso não vai acontecer. A situação que temos neste momento, porém, é que os números têm sido muito grandes. Isso está colocando uma pressão enorme sobre o setor de acomodação”, disse Varadkar aos repórteres durante sua visita a Seul, na Coreia do Sul.

“Precisamos tomar medidas que irão diminuir a chegada de muitos refugiados, para que tenhamos mais tempo para pôr em dia a questão dos alojamento e outros assuntos.

“E faz sentido, nesse contexto, olharmos para o que outros países da Europa Ocidental fazem e ver que a nossa oferta é algo semelhante a isso. Portanto, outros países não oferecem, por exemplo, alojamento ilimitado fornecido pelo Estado e sem qualquer custo”, afirmou o ministro.

Varadkar disse que cerca de 30 por cento dos 500 a 800 ucranianos que chegam todas as semanas solicitaram proteção temporária em outro país europeu antes de se mudarem para a Irlanda.

Cerca de 14 000 refugiados ucranianos já fazem parte do mercado de trabalho, mas o Governo está a considerar alterações nas prestações de segurança social para incentivar mais pessoas a aceitarem empregos.

“Não podemos fechar os olhos ao fato de termos escassez de alojamento. Estamos numa situação em que acomodamos pessoas em tendas e pessoas em cabines aquecidas”, disse Varadkar.

“Me lembro do meu primeiro mandato como primeiro ministro da Irlanda, quando há uma campanha muito forte para acabar com a prestação direta(nome usado para descrever o alojamento, a alimentação, o dinheiro e os serviços médicos que obtém enquanto o seu pedido de proteção internacional está a ser avaliado), que é uma política que apoio, lembro de ter dito: olhem à volta da Europa e vejam qual é a alternativa à prestação direta são tendas e são contêineres.

“E é nesse ponto que estamos agora na Irlanda, onde acomodamos mais de 100 mil pessoas nos últimos dois anos. Não temos alojamento, estamos a usar tendas, estamos a usar contentores. Essa não é uma situação em que queremos estar. Mas se pudermos desacelerar a entrada de refugiados, teremos uma chance de superar isso.”

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.