sexta-feira, agosto 19, 2022

Apesar da crise habitacional a Irlanda não limitará a entrada de refugiados da Ucrânia

Apesar da crise habitacional a Irlanda não limitará a entrada de refugiados da Ucrânia

O governo Irlandês prometeu continuar recebendo refugiados ucranianos apesar da crise habitacional.

A Irlanda, está com uma população de cinco milhões, e recebeu 35.000 refugiados da Ucrânia.

A parlamentar Carol Nolan, disse que as chegadas de refugiados é um desafio para a Irlanda, e ainda ressaltou a necessidade de se expandir o número de moradias.

“Estou consciente que esta é uma questão difícil e sensível e devemos agir com cuidado se quisermos evitar que a culpa seja direcionada àqueles que menos merecem”, disse ela. “No entanto, estou convencida de que, se não aprendermos a encontrar uma maneira de explorar de forma adulta, pragmática e construtiva as ligações entre níveis insustentáveis ​​de migração interna ou asilo para este estado e habitação, nunca encontraremos uma solução significativa para uma crise já esmagadora.”

A Irlanda já sofria com a falta de moradia, antes mesmo da chegada dos Ucranianos.

Isso está ligado ao colapso financeiro de 2008, que fez com que 400.000 pessoas deixassem o país nos anos seguintes, a maioria delas carpinteiros, eletricistas, gesseiros, telhadores, ladrilhadores e pedreiros. Isso contribuiu para uma diminuição no número de propriedades sendo construídas.

A população do país tem crescido muito na última década. De acordo com o último censo a população da Irlanda passou de cinco milhões pela primeira vez desde 1841. “O governo foi muito claro, principalmente em relação à nossa resposta aos nossos amigos da Ucrânia”, respondeu o ministro da Habitação, Darragh O’Brien.

“Temos o plano habitacional mais significativo da história do estado, envolvendo quatro bilhões por ano em investimentos do erário.

“Entregaremos 300.000 casas até 2030.”

O primeiro-ministro, Micheál Martin, também rejeitou qualquer pedido para que o número de imigrantes seja limitado e falou de uma recepção calorosa para aqueles que fogem do conflito.

“Minha experiência com as pessoas de todo o país é muito calorosa e as comunidades [irlandesas] estão trabalhando com a comunidade ucraniana para fazê-los se sentir bem-vindos na Irlanda”.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.